X

blog

Robustez e leveza

06 / OUT / 2014


 

Segundo o júri do Prêmio Américas Arquitetura, estamos diante do melhor exemplar arquitetônico produzido, nos últimos dez anos, entre as três Américas: trata-se da Casa Poli, do escritório Pezo Von Ellrichshausen, erguida em 2005 em Coliumo, no Chile.

O concurso, gerado pelo reitor do Instituto Tecnológico de Illinois (edifício de Mies Van der Rohe, em Chicago) reuniu 265 projetos, em abril desse ano. O objetivo foi o de promover maior interação e compartilhamento de ideias entre aqueles que vêm produzindo arquitetura contemporânea nos últimos anos, no Novo Continente.

 

Apesar da dificuldade em eleger um único vencedor, o júri decidiu pela Poli por uma série de elementos, que tomam de assalto qualquer observador, que se hipnotiza pela construção desde sua implantação até os mínimos detalhes que possui.

Situada em meio a um desfiladeiro diante do mar, a construção mais parece parte do cenário original, uma rocha a mais que configura o espaço. Tal qual seu entorno, a casa denota robustez e imponência, mas ainda assim, simplicidade.

 

 

A vila de pescadores onde se situa a edificação tampouco comportaria outra proposta: o respeito à natureza é grande na região, e o maior trunfo do arquiteto foi haver compreendido e adaptado essa realidade à sua ideia.

Apesar de idealizada como moradia, a poli não é uma residência convencional: funciona ainda como cenário de exposições artísticas, centro cultural, espaço de intervenções e encontros. Seus espaços internos são amplos e iluminados, onde a luz entra sem dificuldades, através de grandes recortes quadrados na fachada, que geram formas incríveis dentro e fora da construção.

 

 

Seus 180 metros quadrados (divididos entre 3 pavimentos e um terraço) são um grão de areia diante da grandiosidade da natureza ao redor. A paisagem é de tirar o fôlego, e arrebata por sua grandiosidade.

Os poucos tipos de revestimento reforçam a ideia do minimalismo: concreto, vidro e madeira de pinus foram os eleitos por Mauricio Pezo e Sofia von Ellrichshausen, arquitetos e parceiros nessa obra, que conseguiu aliar o convívio privado com o espaço para reunião social.

A vitória do projeto se deu justamente por sua capacidade de síntese: em uma área afastada e pouco urbanizada, foi criado um espaço idílico, visando promover o encontro de pessoas e o intercâmbio de ideias, premissas essas comuns também aos criadores do Concurso. Sendo assim, não poderia haver sido diferente: é a casa Poli a vencedora desse prêmio, que recebe de braços tão abertos quanto a natureza que a cerca.

 

 

Fonte: Revista Projeto Design ed. 412 – Jul’14